O Governo de Minas iniciou nesta semana o repasse de R$ 150 milhões para melhorar a merenda escolar dos estudantes do Estado. O valor, conforme o Executivo, será divido em 10 parcelas.

Para a alimentação dos alunos, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassa cerca de R$ 150 milhões. Neste ano, o Estado decidiu aplicar a mesma quantia enviada pelo Governo Federal.

Com a medida, o valor merenda por aluno saltará de R$ 0,30 para R$ 0,60. A intenção é melhorar a qualidade e a variedade do alimento que é oferecido aos estudantes. Desde 2010, o repasse per capita dos recursos federais não aumentava e estava estacionado em R$ 0,30.

“Até o ano de 2015, o único recurso que era repassado para as escolas estaduais para a alimentação dos alunos era o do Governo Federal por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Por decisão do governador Fernando Pimentel, a cada real investido pelo Governo Federal, o Estado investe outro real”, destacou o secretário adjunto de Estado de Educação, Carlão Pereira.

Também a partir deste ano, os professores terão direito à alimentação nas escolas. Os repasses destinados aos servidores irá variar de acordo com o número de cada trabalhador na instituição de ensino. A previsão é que neste ano sejam investidos cerca de R$ 13 milhões.

Outra novidade é a contratação de 53 nutricionistas para atuar em cada Superintendência Regional de Ensino (SRE) e outros seis profissionais para atuar no órgão central. Em Minas, a compra dos alimentos é feita diretamente pelas escolas por meio das caixas escolares.