Mais de R$ 1 bilhão em recursos do Estado foram investidos no combate à Covid-19 até o momento. Além dos esforços financeiros para o controle da pandemia, o governo informou, nessa terça-feira (7), que medidas mais drásticas poderão ser necessárias, como o lockdown (confinamento total), que está em fase final de desenvolvimento.

De acordo com o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Saúde (SES), João Pinho, o montante foi empregado na aquisição de 1047 respiradores, no aumento em 56% no número de vagas de UTI, além de repasses a prefeituras e compra de máscaras e medicamentos.

Pinho também informou que o protocolo de lockdown caminha para a conclusão. O plano é visto pelo governo como a instância mais alta no combate à pandemia e, caso seja aplicado, definirá quais atividades poderão ser exercidas em uma cidade ou região. A medida, no entanto, não é impositiva, e é direcionada às cidades que aderiram ao Minas Consciente, programa estadual de protocolos para flexibilizaçaõ das atividades. 

"A implementação seria por município ou região, a depender dos dados. Vai depender muito da necessidade de intervenção local, seja do próprio município ou eventualmente do Estado, caso necessário", afirmou Pinho. 

Após a finalização do documento, o protocolo ficará à disposição do Comitê Extraordinário e do governador, Romeu Zema (Novo), para a tomada de decisão da necessidade de aplicação.