Órgãos federais de saúde dos Estados Unidos recomendaram, nesta terça-feira (13), a suspensão na aplicação da vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson no país. Segundo agências de notícias internacionais, seis pessoas que receberam a dose teriam desenvolvido coágulos sanguíneos.

Os pacientes são mulheres na faixa de 18 a 48 anos, que tiveram sintomas entre seis e 13 dias após a aplicação. Nos casos, um tipo de coágulo chamado trombose de seios venosos cerebrais foi detectado, além de apresentarem um baixo nível de plaquetas sanguíneas. Segundo o The New York Time, uma mulher morreu e outra foi hospitalizada com quadro grave no estado de Nebraska. 

A medida tomada pelo governo americano foi adotada cerca de uma semana depois de reguladores europeus encontrarem uma possível relação entre a AstraZeneca e um problema similar, que levou a um pequeno número de mortes.

O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) fará uma reunião nesta quarta-feira (14) para analisar os casos relacionados à vacina da J&J. Enquanto isso, a Foods and Drugs Administration (FDA) - agência reguladora estadunidense - revisará a análise, segundo comunicado divulgado em conjunto.

Em nota, o CDC e a FDA disseram que os acontecimentos parecem ser extremamente raros. Já a Johnson afirmou que nenhuma relação foi estabelecida entre os eventos e a vacina produzida pela Janssen.

Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a autorização temporária para uso emergencial da vacina da Janssen no Brasil. O governo federal já adquiriu 38 milhões de doses do imunizante. Seguindo recomendação da área técnica da Anvisa, a maioria dos diretores votou pela permissão de uso, com base em uma avaliação de que os benefícios da vacina superam os riscos.

Conforme a área técnica, o imunizante pode ser aplicado em pessoas com mais de 18 anos, com ou sem comorbidades. A eficácia geral demonstrada pela farmacêutica foi de 66,9%. Quando considerados casos graves, a eficácia comprovada foi de 76,7% após 14 dias e 85,4% depois de quatro semanas. Diferentemente de outras vacinas, a da Janssen tem eficácia com apenas uma dose.

Leia mais

Minas registra mais de 7 mil casos de Covid em 24h; doença já matou 28.152 pessoas
Ministro afirma que 1,5 milhão de brasileiros estão com segunda dose da vacina atrasada