O candidato ao governo de Minas, João Batista Mares Guia (Rede), teve o telefone “hackeado” nesta segunda-feira (20). Segundo informações da assessoria do político, uma pessoa estaria se passando por ele, no aplicativo de mensagens WhatsApp, e pedindo dinheiro.

Ainda de acordo com o assessor, o político começou a receber ligações no telefone fixo de casa, de pessoas conhecidas que estranharam a abordagem na troca de mensagens. Foi quando eles perceberam que se tratava da ação de estelionatários. 

"Preciso realizar uma transferência, porém minha assinatura eletrônica está bloqueada temporariamente e não consigo ir ao banco agora neste exato momento, pode me auxiliar nesta transação e eu restituo o valor em sua conta até às 16:00", dizia uma das mensagens.

O número então foi bloqueado junto à operadora, que informou que mesmo com o bloqueio, o WhatsApp continuaria funcionando e que o aplicativo precisaria também ser acionado.

Ainda sem saber que o chip tinha sido clonado ou rackeado, Mares Guia foi até à Delegacia de Crimes Cibernéticos para denunciar o caso. Os policiais informaram, então, que alguém poderia ter usado os dados dele para resgatar esse chip. Na loja da operadora eles confirmaram que o estelionatário teria resgatado o número usando os dados dele.

Uma nota publicada em uma rede social, explicou o ocorrido. "Um estelionatário está enviando mensagens para as pessoas e se passando pelo professor João Batista. As mensagens são sempre pedindo dinheiro emprestado. Já bloqueamos o número pela operadora Oi. Mas o whatsapp ainda continua funcionando. Desde já, pedimos desculpas a todos aqueles que receberam esse tipo de conteúdo pelo whatsapp", alerta o comunicado.