Estudantes da PUC Minas se reuniram na porta do campus Praça da Liberdade, nesta sexta-feira (29), para protestar contra um suposto caso de racismo, envolvendo uma professora do curso de Medicina Veterinária e um aluno da UFMG, que estava no local para divulgar o Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Um áudio que circulou pelas redes sociais mostraria uma fala da professora, direcionando críticas aos estudante: “Vai trabalhar. Tira aquele chinelo e vai ralar. E ainda corta o cabelo e vê se lava, um fedor danado”, teria dito a professora, de acordo com a suposta gravação. Ouça:

O caso aconteceu na última quarta-feira, quando o estudante do curso de Psicologia da UFMG e integrante do coletivo Juntos MG estava divulgando o congresso da UNE para os alunos da universidade privada. Ele teria pedido autorização para a professora para passar o recado aos estudantes e ela teria concedido.

A PUC Minas emitiu nota dizendo que o Colegiado de Medicina Veterinária está apurando os fatos. “Em relação a episódio que teria ocorrido na PUC Minas Praça da Liberdade, em que alunos alegam que uma professora, em sala de aula, teria agredido verbalmente um estudante que se disse ligado a União Nacional dos Estudantes (UNE), informamos que o Colegiado do Curso em questão está apurando os fatos junto aos envolvidos para tomar as devidas providências”, afirma a universidade.

O coletivo Juntos também se manifestou, pelo Facebook. "A nossa luta para popularização da educação vem de muitos anos, mas o racismo institucional alimenta esse tipo de absurdo também no ambiente educacional e é responsável pela evasão de muitos negros e negras de suas instituições de ensino", afirmou o coletivo.