Cinco pessoas foram presas nesta quarta-feira (22) no campus Pampulha da UFMG por suspeita de tráfico de drogas, após operação da Polícia Civil. As detenções ocorreram em centros acadêmicos da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) e na Escola de Belas Artes (EBA).

Nesta quinta-feira (23), a corporação deve dar detalhes sobre as prisões, que ocorreram devido ao cumprimento de mandados. Estudantes, no entanto, alegam que os investigadores entraram nos centros acadêmicos de Filosofia (Cafca) e Psicologia (Capsi) sem apresentar autorização judicial.

A Polícia Civil não confirmou a identidade dos detidos. Também não informou se os suspeitos seriam alunos da instituição. 

O Hoje em Dia apurou que estudantes dos dois prédios foram revistados e abordados durante a tarde. Um dos detidos tinha mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas. Com outro suspeito, os agentes encontraram cerca de um quilo de haxixe.

Todos foram levados para o Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), onde estavam sendo ouvidos até o fechamento desta edição. Não foi informado se eles seriam liberados após prestar depoimento. As buscas na universidade se encerraram por volta das 18h.

Antes da saída dos policiais, alguns estudantes se aglomeraram em frente aos prédios da Fafich e da EBA para protestar, mas não houve tumulto.

Até a noite de quarta, a UFMG não havia se manifestado, alegando que apura com a equipe interna de segurança as circunstâncias da operação. O Diretório Central dos Estudantes (DCE) informou que se reuniu com a administração da universidade e que se posicionará ainda nesta quinta.

No final da noite de quarta-feira, o diretor em exercício da Fafich, Bruno Pinheiro Wanderley Reis, confirmou que a operação da polícia resultou na prisão de três pessoas aparentemente não pertencentes à comunidade da faculdade. A ação foi realizada na sala F3035 da Faculdade, com base em um mandado de busca e apreensão.

"Apoiada pela Reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais, a Direção da Faculdade está trabalhando na obtenção de mais informações sobre o ocorrido. Reafirma o compromisso institucional de colaborar com as apurações das autoridades, cumprindo seu papel institucional, sempre preservando a autonomia universitária. Conclamamos a comunidade a manter a serenidade e a tranquilidade"

Surpresa

Membro do Diretório Acadêmico da Fafich, o estudante Gabriel Lopo afirmou que, no início das aulas do noturno, os alunos estavam surpresos e foi preciso reunir membros dos centros acadêmicos para discutir as ações a serem tomadas. 

“Ainda estamos aguardando as informações oficiais da reitoria e da diretoria para saber como vamos proceder. Eles (Polícia Civil) tinham mandado de busca e apreensão apenas para a Fafich e Belas Artes, mas entraram em dois centros acadêmicos sem a ordem”, diz Lopo.

Leia Mais:
Polícia Civil prende cinco suspeitos de tráfico de drogas na UFMG
Presos por tráfico na UFMG não são alunos da instituição; comércio de droga era frequente