Cerca de 80 estudantes ocuparam na noite desta quinta-feira (3) o prédio do Instituto de Ciências Humanas (ICH), da Pontifícia da Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), no bairro Coração Eucarístico, região Noroeste de Belo Horizonte. Os estudantes são contrários à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55/2016, que fixa os gastos públicos e está em tramitação no Senado Federal.

Segundo os alunos, esta seria a primeira universidade privada no país ocupada. “As instituições privadas também terão impactos graves com a aprovação desta PEC, por isso apoiamos este movimento e decidimos em assembleia por ocupar a instituição de ensino”, disse um dos estudantes, organizador do movimento, que pediu para não ter o nome divulgado.

A PUC-Minas também será local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana. Para os estudantes, a medida não afetará a aplicação dos exames. “O MEC (Ministério da Educação) pode sim realizar as provas sem prejuízo para os candidatos. Foi possível durante as eleições e será da mesma forma nos dias de exame”, avalia o estudante.

Por meio de nota, a PUC Minas afirmou que está disposta a dialogar com os alunos e que tem atuado para assegurara a realização do Enem neste final de semana na instituição. "Para tal, tem promovido diálogo cordial com os representantes deste movimento, que também manifestam preocupação com a garantia de que o Enem aconteça nas instalações da Universidade e que os milhares de alunos da PUC Minas não tenham suas atividades acadêmicas dificultadas", diz a nota. 

Os alunos que ocuparam o prédio seis, da PUC, também emitiram uma nota afirmando que não vão impedir a realização do Enem. 

 

Leia mais:
Justiça Federal nega pedido do MPF para adiar provas do Enem
UFSJ questiona adiamento de Enem na universidade após desocupação
Enem pode ser cancelado em mais locais; Inep divulgará nova lista na sexta
Mudança de local do Enem custará R$ 12 milhões
Enem é adiado para 42 mil alunos em Minas