O Estudo Longitudinal de Saúde dos Idosos Brasileiros (Elsi), divulgado pelo Ministério da Saúde, revela que 29,8% da população idosa tem duas ou mais doenças crônicas e 39,5% tem ao menos uma. Outro estudo publicado pelo Departamento de Saúde Global e População da Universidade de Havard, EUA, neste ano mostrou que a pandemia reduziu a expectativa de vida dos brasileiros, que caiu de 76 anos para 74 anos.

Apesar desses números, a geriatra Bárbara Correa de Oliveira, da UnimedBH, lembra que “envelhecer não é sinônimo de doença”. Para ela, essa é a fase para desfrutar as conquistas e as realizações ao longo da vida. 

Mas, para isso, é preciso manter o cérebro ativo, praticar exercícios físicos, comer alimentos com mais nutrientes e manter as interações sociais, como encontros com amigos e familiares, mesmo que sejam virtuais, neste momento ainda de pandemia. 

Acompanhe a entrevista na íntegra.  

Leia Mais:
Chuva desta segunda destrói casas e deixa moradores desabrigados na região metropolitana
Ministério da Saúde deve suspender prazo entre a aplicação das vacinas da Covid-19 e da gripe