A Polícia Civil investiga a participação de um homem na morte da ex-companheira, em Guanhães, região do Vale do Rio Doce do Estado. De acordo com a Polícia Militar (PM), Rita Mariana Rodrigues de Miranda, de 20 anos, foi morta a tiros na porta de casa, na rua Pio Ferreira, no bairro Almas, na noite dessa quarta-feira (17). A filha do casal, de quatro anos, teria presenciado o assassinato.
 
A mãe da vítima relatou à PM que estava fora de casa quando recebeu o telefonema da filha informando que Paulo de Souza Barbosa Filho, de 25 anos, estava lhe agredindo. A mãe teria, então, se apressado para socorrer Rita e, já na porta da residência, encontrou com Paulo montado em uma motocicleta preta. A filha do casal estaria na garupa da moto e Paulo ordenava que Rita também subisse no veículo. 
 
Como Rita não teria obedecido à ordem, Paulo teria sacado um revólver. Ao perceber a intenção do suspeito e por já ter conhecimento de que Paulo teria envolvimento em outros crimes, a mãe de Rita teria, então, puxado o homem pelo braço e arrancado dele a sua neta. Nesse momento, conforme os militares, a arma caiu no chão. A mãe da vítima teria tentando chutar o revólver para longe do local, mas não obteve êxito. 
 
Ao recuperar a posse do revólver, Paulo teria ido atrás de Rita, que encontrava-se escondida atrás de um carro. Ao tentar fugir do parceiro, dando a volta por de trás do veículo, Rita teria acabado ficando de frente para o homem. Segundo a mãe de Rita, foi nesse momento que Paulo atirou várias vezes contra a vítima. Em seguida, o autor dos disparos teria fugido em uma moto rumo ao Centro de Guanhães.
 
Quando os militares chegaram ao local, Rita estava sentada em uma calçada, encostada no muro de uma casa, sangrando e já sem sinais vitais. A perícia foi acionada para dar início às investigações do caso e o Instituto Médico Legal (IML) de Governador Valadares fez o recolhimento do corpo. 
 
Conforme relato da mãe da vítima à polícia, o casal já estava junto há 9 anos e se separou há cerca de 15 dias. Ela informou ainda que, nesse domingo (14), a sua filha chegou de Belo Horizonte e se encontrou com Paulo. Rita teria ficado na casa do suspeito por dois dias e, em seguida, resolveu voltar a morar na casa da mãe. A mãe da vítima afirmou ainda que a filha do casal disse que o homem havia quebrado uma porta da residência e agredido Rita antes de matá-la. 
 
Segundo a PM, foi feito intenso rastreamento na região onde ocorreu o crime, mas o suspeito ainda não foi localizado. A ocorrência foi encerrada na Delegacia de Plantão de Guanhães e caso é investigado pela Polícia Civil.