O ex-policial civil aposentado, José Lauriano de Assis Filho, o Zezé, acusado de participar do assassinato de Eliza Samudio, amante do ex-goleiro Bruno, está sendo julgado nesta quarta-feira (25) em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

O julgamento ocorre 11 anos após o crime. Conforme informou o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o processo corre em segredo de Justiça. 

Zezé foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menor e ameaça grave na trama que resultou na morte da modelo. O crime ocorreu em 2010. 

O nome dele foi citado desde o início das investigações. Na época, o delegado responsável pelo inquérito informou que não havia provas suficientes para indiciar o ex-policial civil.

Consta no processo que ele foi a pessoa que apresentou Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, a Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Macarrão era o braço-direito de Bruno e Bola foi condenado por executar o crime.

No depoimento prestado à polícia na fase do inquérito, o ex-policial civil, à época empresário de um grupo de pagode, disse que conhecia Macarrão pelo fato de ele agenciar o grupo para festas realizadas pelo goleiro Bruno.

Zezé, que conhecia Bola do meio policial, colocou o colega de profissão em contato com Macarrão, após um pedido de Marcos Aparecido para ajudá-lo a conseguir um teste de futebol para o filho dele.

O nome de Zezé também foi citado pelo ex-goleiro durante o julgamento. Bruno confessou que conheceu José Lauriano no final de 2009, por meio de Macarrão e que ele teria frequentado seu sítio por várias vezes.

Entenda o caso

O goleiro Bruno Fernandes foi condenado em 8 de março de 2013 a 22 anos e três meses pelo homicídio e ocultação de cadáver de sua ex-amante Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho, Bruninho. Os crimes aconteceram em junho de 2010 e o atleta foi apontado como o mandante.

Além dele, outros réus envolvidos no crime foram julgados. O ex-braço direito de Bruno, Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão por homicídio, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio. Já da acusação de ocultação de cadáver, o réu foi absolvido.

Já a ex-namorada do goleiro, Fernanda Gomes de Souza, foi condenada a cinco anos de prisão em regime aberto pelo crime de sequestro e cárcere privado de Eliza, enquanto a ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues, foi absolvida das acusações de sequestro de Bruninho.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, foi condenado por homicídio e ocultação de cadáver. Além dele, também foram julgados o caseiro Elenilson Vitor da Silva e o motorista do atleta na época, Wemerson Marques de Souza, o Coxinha.

Leia mais:
TJMG decide nesta quarta se aceita denúncia contra promotor acusado de matar a esposa em BH
Defesa Civil de Minas vai receber kits para estruturar coordenadorias de 479 cidades e 18 regionais
Mais de 100 divórcios virtuais aconteceram durante o mês de julho em BH; entenda o processo