Rodney Balbino Leonardi, conhecido como "Robocop", suspeito de chefiar um grupo de extermínio em São José da Lapa, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi preso em flagrante na manhã desta quinta-feira (1º), após atirar e matar o irmão, Rodger Balbino Leonardi, de 17 anos, na porta de casa.

O adolescente foi socorrido pelo irmão que é policial militar, Robson, e pelos pais. Ele foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento de Vespasiano, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Uma viatura da Polícia Militar (PM) compareceu na residência da vítima, onde encontrou o suspeito dormindo. Ele conversou com os militares e contou que toma medicamento controlado e não se lembra de nada.

A mãe contou à PM que viu pelas câmeras de segurança que Rodney e Rodger conversavam na porta de casa e que o mais novo tentava pegar algo da mão do mais velho. Ela decidiu ir até lá, mas no caminho, ouviu os disparos. Quando chegou na entrada da casa, a mãe ainda avistou a vítima com as mãos para cima dizendo "Para. Para. Acabou." Nesse momento, segundo a versão da mãe, Rodney teria apontado a arma para Rodger e desferido um tiro contra o rosto do irmão, que caiu no chão. Em seguida, o suspeito tentou ainda socorrer a vítima.

Robson e o pai, que estava dormindo, acordaram com os gritos da mãe e foram até a porta da casa. Juntos, os três levaram Rodger ao hospital.

Não foi possível acessar as imagens do sistema de segurança, pois Rodger era o único que possuia a senha do programa de gravação. No entanto, com o consentimento da família, o dispositivo com as imagens foi recolhido e encaminhado para análise.

Diante dos fatos foi dada a voz de prisão ao "Robocop". A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Plantão de Vespasiano.

Robocop e um outro imão, Robert Balbino Leonardi, o "Betinho" foram absolvidos da acusação de tentativa de homicídio de duas pessoas em São José da Lapa, em agosto de 2009. A dupla foi inocentada por ausência de provas. "Betinho", no entanto, já foi condenado a 20 anos de prisão por um homicídio e uma tentativa de homicídio ocorridos em setembro de 2009, também na mesma cidade.

O grupo de extermínio era liderado pelo ex-cabo da Polícia Militar (PM), Rodney Balbino Leonardi, conhecido como "Robocop". A denúncia aponta que o grupo vivia em constante guerra pelo tráfico de drogas e que "Betinho" usava uma ambulância da cidade para transportar os entorpecentes. As vítimas assassinadas deviam dinheiro para o militar e pertenciam a gangues rivais.

Atualizada às 15 horas