Foi preso pela Polícia Civil (PC), nesta quinta-feira (12), o ex-presidente da Câmara Municipal de Nacip Raydan, na região do Rio Doce. Ele foi condenado pelo homicídio da prefeita do município, Maria Aparecida Vieira, ocorrido em 2000. Jorge Ângelo Dias, de 77 anos, encomendou o assassinato para assumir a prefeitura, já que, na época, não havia um vice-prefeito e ele seria o próximo na linha sucessória. 

Segundo a instituição, a prefeita foi morta por um pistoleiro, na frente da filha, quando seguia para o trabalho. O idoso acabou sendo condenado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e foi detido no bairro Floresta, em Coronel Fabriciano, na mesma região.

"Após anos de tramitação na Justiça, a decisão de condenação transitou em Julgado e Jorge recebeu a condenação de 17 anos de prisão", acrescenta a polícia.

Outra motivação para o homicídio seria uma disputa política envolvendo duas famílias da cidade, que se alternavam no poder.

Ainda de acordo com a corporação, o ex-presidente da Câmara passou por exame de corpo delito e será encaminhado para o sistema prisional para iniciar o cumprimento de sua pena. 

Outro vereador foi preso há quatro anos

Em 2015, um outro envolvido no homicídio da prefeita também foi preso no Aeroporto de Confins, após ser deportado como imigrante ilegal na cidade de Everett-Massachusetts, nos Estados Unidos. Evandro Sérgio Paes França, na época com 57 anos, também havia sido condenado pela Justiça. 

O preso, natural de Sabinópolis e que era vereador de Nacip Raydan na época do crime, estava foragido. Ele foi condenado a 18 anos pelo envolvimento na morte e acabou fugindo do Brasil antes de ser detido.

O pistoleiro, autor dos disparos que vitimaram a prefeita, também foi detido em 2005 e condenado a 17 anos de detenção. 

Leia mais: 
Polícia indicia dois filhos Flordelis pelo assassinato do marido
Vereador que matou prefeito de Naque premeditou o crime, diz Polícia Civil
Gerente denuncia racismo dentro de secretaria da PBH: 'lugar de negra é limpando chão'