O feriado prolongado foi marcado por imprudência nas estradas mineiras. O número de motoristas flagrados por excesso de velocidade nas rodovias federais que cortam o Estado, da última quinta-feira até ontem, superou em quase 40% os registros do ano passado, mesmo com 2018 tendo um dia a menos de recesso. Exatos 8.766 condutores foram identificados transitando acima do limite permitido – média de 90 multas por hora.

As estatísticas, no entanto, podem piorar. As autuações referem-se apenas às infrações registradas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). O balanço nas pistas estaduais, sob a responsabilidade da PM, deve ser divulgado hoje.

Com o aumento de veículos nas estradas durante o feriado, o excesso de velocidade pode ter sido responsável por acidentes graves. Ontem, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), duas mulheres, de 39 e 40 anos, morreram após o carro em que estavam capotar na BR-040.

Apesar de a causa ainda ser investigada pela Polícia Civil, a imprudência pode ter motivado a tragédia. “Pela dinâmica, o carro vinha no sentido BH e atravessou a pista antes de capotar. Acredito que o excesso de velocidade pode ter causado tanto a perda de controle quanto a batida no barranco”, avaliou o tenente Sérgio Magalhães, do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros.

Fiscalização

Professor de segurança viária do Cefet-MG, Agmar Bento diz que as multas podem ter crescido porque o feriado foi em uma sexta-feira. “E não em uma quinta, como no ano passado. Com um dia a menos para descansar, o número de viajantes foi menor. Logo, as rodovias ficaram menos congestionadas, o que permitiu que alguns motoristas corressem mais”.

Além disso, o especialista diz que, na maioria dos casos, o excesso de velocidade está ligado à falta de fiscalização. Segundo o professor, o condutor que não está sendo vigiado tende a acelerar mais do que o permitido em alguns trechos.

O desrespeito às leis de trânsito nos feriados também é destacado pelo chefe do setor de comunicação da PRF em Minas, inspetor Aristides Júnior. Ele afirma que, nessas épocas, “as pessoas ficam mais apressadas nas rodovias”. O agente, porém, garante que a vigilância não mudou. “O aumento dos flagrantes foi exatamente por falta de prudência do motorista”.

Queda

Apesar do aumento das infrações por transitar acima do limite permitido nas rodovias, a PRF destacou a redução no número de mortes durante o feriado de 7 de Setembro, na comparação com o ano passado. Foram oito óbitos contra 13 no mesmo período de 2017. Já a quantidade de feridos caiu de 156 para 144, com 101 acidentes registrados em 2018.