A Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) passou a integrar a rede Covid-19 Prevention Network (CoVPN), criada para oferecer respostas à pandemia do novo coronavírus. Além da instituição mineira, apenas o Instituto Nacional de Infectologia da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com sede no Rio de Janeiro, faz parte do projeto.

Por aqui, o trabalho é conduzido pelo Grupo de Pesquisa em HIV/aids em Crianças, Adolescentes e Gestantes, coordenado pelo professor Jorge Andrade Pinto, do departamento de pediatria. “Essa é a principal rede global que conduzirá os estudos da fase 3 das vacinas candidatas à prevenção da infecção pelo SARS-CoV-2. É uma satisfação integrar uma rede internacional de ponta que busca abrir caminhos para sairmos da pandemia”, explica o médico.

O primeiro estudo do qual a Faculdade de Medicina participa como centro colaborador é o CoVPN 5001, ensaio clínico que busca compreender a infecção e a resposta imunológica ao SARS-CoV-2 em adultos. Para isso, reunirá voluntários com apresentação clínica variável de infecção recente.

“Serão recrutados participantes assintomáticos, com sintomas leves não hospitalizados e hospitalizados – eles podem se deslocar entre os grupos se os sintomas piorarem ao longo do estudo”, diz. 

Oitocentos participantes serão avaliados por cerca de 60 centros de pesquisa localizados nos EUA, no Peru e na África do Sul, além do Brasil.

Ao compreender o curso clínico da infecção, principalmente no seu início, será possível sugerir eventuais marcadores de proteção que podem ser usados na avaliação da eficácia de vacinas para a covid-19. 

Para o professor Jorge Andrade, esse primeiro estudo representa uma base importante para os ensaios da fase 3, com início previsto para setembro. 

A rede

O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (National Institute of Allergy and Infectious Diseases – NIAID) foi responsável pela criação da rede CoVPN para estudar vacinas e anticorpos monoclonais para combater o vírus.

Com capacidade de pesquisa global, a CoVPN inclui a Rede de Ensaios de Vacinas contra o HIV (HVTN), o Consórcio de Pesquisa Clínica de Doenças Infecciosas (IDCRC) e a Rede de Ensaios de Prevenção do HIV (HPTN).

Integram o grupo de pesquisa da Faculdade de Medicina, além do professor Jorge Pinto, os professores Flávia Ferreira, do Departamento de Pediatria, Helena Duani e Júlia Caporali, do Departamento de Clínica Médica, e Mario Dias Correa e Patrícia Teixeira, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia. O grupo é composto de equipe multidisciplinar de médicos, enfermeiros, farmacêuticos, epidemiologistas, biólogos, assistentes sociais e técnicos, além de um comitê comunitário formado por representantes da sociedade civil.

*Com informações da UFMG