Uma mulher foi conduzida à delegacia nesta terça-feira (18), em Barbacena, no Campo das Vertentes, por suspeita de fingir ser médica veterinária em uma organização não governamental de proteção animal. De acordo com o Conselho Regional Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV-MG), ela não tinha registro profissional e foi descoberta durante um trabalho de fiscalização.

Na ONG, são oferecidos os serviços de canil e de clínica. Assim que a denúncia de exercício ilegal da profissão foi feita à Polícia Civil, a mulher foi encaminhada à 1ª Delegacia Regional de Barbacena. Segundo o CRMV, ela confessou que não tem formação de medicina veterinária e usava número de inscrição de outra profissional para preparar receituários - o que pode levar à investigação por falsidade ideológica.

Ainda de acordo com o conselho, a ONG não possuía responsável técnico, que obrigatoriamente deve ter formação em medicina veterinária. “Tais atividades, se exercidas de forma ilegal, colocam em risco, não apenas os animais, mas toda a sociedade, pois algumas doenças denominadas zoonoses, podem ser transmitidas para seres humanos”, afirma o CRMV por meio de nota.