A Polícia Federal identificou nesta terça-feira (27) um homem que se passava por agente da corporação para aplicar golpes em Belo Horizonte. O falsário, conforme apontaram as investigações, apresentava o distintivo da PF para "obter facilidades e vantagens sobre as pessoas". Várias vítimas foram identificadas e confirmaram a atuação do falsário. 

O suspeito começou a ser procurado depois que a PF recebeu denúncia, por e-mail, em agosto de 2017, de que um agente federal vinha praticando golpes na capital mineira. Já no início das apurações, a PF descobriu que o homem denunciado não era  policial federal.

A PF instaurou inquérito e solicitou à Justiça Federal mandado de busca e apreensão, que foi expedido.

Durante o cumprimento do mandado, a PF encontrou na residência do falso policial uma carteira de “AGENTE DE SEGURANÇA” com o Brasão da República. O homem admitiu, em interrogatório, que se apresentava como Agente de Segurança Federal. "Aí a pessoa deduzia Agente Federal, aí eu ficava calado e não desmentia”, relatou o falsário. A Polícia não detalhou que tipos de golpes ele cometia.

Ele foi indiciado pela prática dos crimes de uso indevido de marcas, logotipos, siglas ou quaisquer outros símbolos utilizados ou identificadores de órgãos ou entidades da Administração Pública e falsa identidade.