O número de escolas de ensino médio que receberão aulas em horário integral em Minas Gerais, a partir do próximo mês, pode cair de 44 para até 32. A informação foi confirmada pela superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação (SEE), Cecília Resende.

A redução poderá ocorrer porque nem todos os colégios pré-selecionados têm espaço suficiente para abrigar os alunos do 1° ano com o aumento da carga horária.

As escolas estaduais selecionadas têm até 10 de março para enviar informações à SEE. A documentação deverá comprovar as condições de se implantar o horário estendido ou apresentar propostas de adequação.

Até ontem, a SEE já havia sido informada que poderá ter problemas para implementar a nova modalidade de ensino em dez unidades educacionais. “Já tivemos retornos de que teremos que readequar o programa ou buscar uma nova instituição. Algumas delas oferecem também o ensino fundamental no mesmo local. Talvez, das 44 escolas, ou vamos ter que readequar ou desligar dez ou 12 instituições”, informou Cecília Resende.

O Ministério da Educação (MEC) estipulou que Minas Gerais teria direito a recursos para implementar a novidade em 30 escolas. No entanto, em uma primeira seleção, apenas 16 atendiam a todos os critérios.

Assim, a SEE pediu ao MEC para que fossem incluídas outras 14 escolas com alguma pendência. A solicitação foi atendida, e, depois, o Ministério ofereceu recursos para que outras 14 escolas pudessem receber o ensino médio em tempo integral, já que outros Estados não conseguiram atender aos critérios mínimos.

Dez escolas de ensino médio de Belo Horizonte devem fazer parte do projeto piloto de implementação do ensino médio em horário integral

Início

A proposta da SEE é que as escolas que entregarem a documentação tenham mais 30 dias para iniciar as aulas estendidas, previstas para 10 de abril. “Cada escola vai definir por onde começar. Queremos um currículo integrado, flexível e de forma democrática. A ideia é não colocar nada engessado. A discussão passa por entender qual é o território e o que os estudantes vivem”, explica Resende.

A carga horária semanal saltará de 25horas para 45 horas. Metade desse acréscimo será utilizada para aumento da carga horária de matemática, português, filosofia, sociologia, ciências da natureza (química e física) e língua estrangeira (podendo a escola oferecer inglês e espanhol).

A outra metade será dividida em três núcleos: Pesquisa e Inovação Tecnológica; Linguagens, Cultura, Artes e Cidadania; e Comunicação, Mídias e Novas tecnologias.

Neste primeiro ano do programa serão investidos mais de R$ 19 milhões pelo Ministério da Educação. A expectativa é que, até 2019, os três anos do ensino médio ofertem a educação integral.

Lista das 44 escolas estaduais que receberão o ensino médio integral:

Região Central
Padre Laerte Esperança Oliveira, em Buenópolis

Zona da Mata
Hermenegildo Vilaça, em Juiz de Fora
Presidente Costa e Silva, em Juiz de Fora
Senador Levindo Coelho, em Ubá

Médio e Baixo Jequitinhonha
Industrial São José, em Araçuaí
Chaves Ribeiro, em Itaobim
Monsenhor Manoel, em Medina

Metropolitana
Em Belo Horizonte
Cândida Cabral
Coração Eucarístico
Doutor Lucas Monteiro Machado
Governador Milton Campos
Ministro Alfredo Vilhena Valladão
Professor Hilton Rocha
Professor Neidson Rodrigues
Prof(a). Amélia de Castro Monteiro
Silviano Brandão
Walt Disney
Escola Estadual de Ensino Médio, em Betim
João Paulo I, em Betim
Paulina Aluotto Ferreira, em Brumadinho
Mestre Zeca Amâncio, em Itabira

Mucuri
Geraldo de Souza Norte, em Carlos Chagas
Stella Matunina, em Nanuque
Tristão da Cunha, em Teófilo Otoni

Noroeste
Neusa Pimentel Barbosa, em Paracatu
Virgilio de Melo Franco, em Unaí

Norte
Barão de Gorutuba, em Janaúba
Olegário Maciel, em Januária
Deputado Quintino Vargas, em Pirapora
Brasiliano Braz, em São Francisco

Oeste
Dona Berenice de Magalhães Pinto, em Arcos
Jalcira Santos Valadão, em Formiga
Professora Gilka Drumond de Faria, em Itaúna

Sudoeste
Paula Franssineti, em São Sebastião do Paraíso

Sul
Doutor Emilio Silveira, em Alfenas
Nossa Senhora das Graças, em Campina Verde

Triângulo Norte
Nelson Soares de Oliveira, Indianópolis
Professora Maria de Barros, em Ituiutaba
Angela Teixeira da Silva, em Uberlândia

Triângulo Sul
Dom José Gaspar, em Araxá
Lauro Fontoura, em Uberaba

Vale do Aço
Alberto Giovanninni, em Coronel Fabriciano
Maurilio Albanese Novaes, em Ipatinga
Professora Haydde Souza Abreu, em Timóteo