Três pessoas foram presas pela Polícia Militar na noite desta quinta-feira (4), em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por aplicar golpes em comerciantes. De acordo com as apurações dos policiais, os suspeitos fingiam ser representantes de uma famosa fabricante de máquinas de cartões de crédito e débito para fazer negócios, que não eram concluídos.

Os comerciantes pagavam cerca de R$ 120 para receber a nova máquina e ter acesso a baixas taxas que eram prometidas pelos suspeitos e recebiam a promessa de que o aparelho chegaria em alguns dias. A quadrilha foi identificada no momento em que acabavam de enganar um comerciante em Contagem e foram identificados por uma vítima abordada na semana anterior.

De acordo com o sargento Luciano Fernandes, do 39º Batalhão, os suspeitos são integrantes de uma mesma família – pai, filho e nora. Ela tem passagem por tráfico de drogas e o sogro cumpriu pena por estelionato. Já o rapaz tinha um mandado de prisão contra ele e, por isso, chegou a apresentar a carteira de trabalho de uma outra pessoa.

“Eles tinham até crachá e camisa da empresa. Quem não conhece a empresa, não sabe que ela não trabalha com representação, não percebe que eles não eram funcionários. Até porque eles tinham máquinas novas para apresentar”, contou o sargento.

O mais velho dos três disse à polícia que a família veio do Espírito Santo e que ele é dono de uma empresa de informática em Goiânia. Seria por meio desse CNPJ que ele faria a representação para a empresa.

A polícia encontrou uma planilha de dados com os suspeitos e acredita que foram feitas dezenas de vítimas na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O caso foi encaminhado à Delegacia de Plantão de Contagem.