A família de um estudante de medicina veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) tenta localizar, há mais de um mês, o filho Raoni Mitraud Chartone, de 32 anos. Ele foi visto pela última vez, no dia 14 de junho, no momento em que o pai, o educador físico José Chartone de Souza Filho, de 59 anos, deixou o estudante no prédio onde tinha aula. “Ele saiu do meu carro, despediu e entrou no prédio. Notei que algo estava errado horas depois, já no horário da saída, quando ele não chegou no horário habitual para irmos embora para casa”, conta.

O estudante, que sofre de transtornos psicológicos, teria tido um surto e fugido. A suspeita da família é que ele esteja na região Norte ou Nordeste do país. “Ele havia dito uma vez que queria ir para o sertão do país ajudar quem precisa. Acredito que ele possa estar lá”, diz o pai.

Esta não é a primeira vez que o estudante foge de casa. Em maio deste ano, uma desavença familiar acabou motivando a fuga do jovem. “Ele ficou irritado com a possibilidade de ser internado para fazer o tratamento psiquiátrico, mas ele nega sofrer de algum transtorno”, desabafa o pai.

Família mobilizada

Desde o desaparecimento do estudante, o pai José Chartone, que é educador físico, dedica todo o seu tempo na busca pelo filho. “Parei com toda a minha rotina. Nem trabalhar eu não trabalho. Vou em cada canto tentar encontrar meu filho”, conta.

Natural de Barbacena, no Campo das Vertentes, José Chartone agora tenta voltar ao trabalho, mas a mobilização na tentativa de localizar o estudante ainda persiste.

Em nota, a Polícia Civil informou que não descarta a possibilidade de que Raoni Chartone esteja em outro Estado e que está apurando.

Quem tiver informações a respeito do estudante pode acionar a Polícia Civil pelo número 0800 28 28 197

Leia mais:
Estudante de medicina veterinária da UFMG está desaparecido há seis dias