A Vale vai pagar até três salários mínimos para cerca de 200 pessoas que ainda não foram indenizadas, após serem retiradas de suas casas no entorno da barragem Norte/Laranjeiras, em Barão de Cocais, na região Central de Minas. A estrutura está no nível 3, que é de risco de rompimento iminente. 

O acordo foi firmado nesta quarta-feira (3), em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) entre a mineradora e as famílias removidas e envolveu ainda representantes do ministérios Público Estadual e Federal, Defensoria Pública do Estado e do município. 

Pelo acordado, a Vale pagará a esses atingidos o valor de três salários mínimos por adulto; um salário e meio por adolescente; e três quartos do salário por criança, a serem pagos em duas parcelas. Esse montante não será descontado de indenizações individuais ou da reparação socioeconômica, nem tem relação com pagamentos emergenciais já efetuados. A primeira parcela deverá ser paga em até 15 dias a partir da audiência realizada nesta quarta e, a segunda, em até 45 dias após a quitação da primeira. 

O acordo é parcial e nova rodada de negociações já está agendada para o próximo 23 de março.

A Barragem Norte/Laranjeiras integra a Mina de Brucutu, localizada em São Gonçalo do Rio Abaixo. A nova área incluída na zona de autossalvamento, no entanto, fica em Barão de Cocais.