Pelo menos 40 famílias foram desalojadas nesta sexta-feira (28) em Montes Claros, no Norte de Minas. O grupo morava um terreno da Prefeitura às margens da LMG-653, no Anel Rodoviário Sul. 
 
Máquinas da prefeitura foram utilizadas para derrubar as construções. Pelo menos cinco casas foram demolidas. “Eles (servidores municipais) retiraram os objetos das casas, colocaram em uma caçamba e jogaram tudo ao chão”, contou a empregada doméstica, Cléia Aparecida Alves, de 40 anos. 
 
Em protesto, a população fez uma barricada na LMG-653 e ateou fogo em madeiras e galhos de árvores. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), um congestionamento de dois quilômetros se formou no sentido Montes Claros/Pirapora e Montes Claros/Belo Horizonte. 
 
A assessoria de imprensa da Prefeitura de Montes Claros informou que o local foi vendido de forma irregular para os ocupantes. A administração esclareceu ainda que tem poder de polícia para reaver o bem público, e que, somente retiraram cercas e construções em andamento. Foi feito um cadastro das pessoas que viviam no local para possível inserção em programas sociais.
 
Como providência, a Prefeitura disse que irá fazer um relatório a respeito do caso e encaminhar ao Ministério Público de Minas Gerais para que a venda ilegal de bem público seja investigada.  

Reintegração de posse_Montes Claros_Dione Afonso_Hoje em Dia
Moradores do terreno fizeram protesto contra a reintegração de posse e fecharam a LMG-653 (Foto: Dione Afonso/Hoje em Dia)