A Fazenda Carreiras, imóvel tombado pelo município de Ouro Branco e pelo Estado, passará por reformas para melhorar seu estado de conservação. Conforme a Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico do Ministério Público Estadual (MPE), a prefeitura da cidade e o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) assinaram  Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) se comprometendo a preservar o local.
 
Segundo o MPE, vistoria constatou que o imóvel do XVIII estava abandonado e em processo de deterioração. Pelo documento, Ouro Branco terá que, em 30 dias, revisar a cobertura da fazenda, substituindo o madeiramento comprometido. Além disso, em no máximo 120 dias deverá elaborar projeto de restauro, que será analisado e aprovado pelo Iepha.
 
Após a restauração, o município terá que destinar o imóvel de forma compatível com suas características e mantê-lo em uso permanente e em bom estado de conservação. Conforme constatado pelo MPE em laudo técnico, apenas o valor arquitetônico e o de antiguidade já justificariam a preservação da sede da fazenda. 
 
O descumprimento de qualquer das obrigações firmadas pelo município implicará o pagamento de multa diária no valor de dois salários mínimos.