A Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) está investigando qual a extensão dos danos provocados pelo vazamento de rejeitos de uma barragem no distrito de Miguel Burnier, em Ouro Preto, na região Central de Minas, ocorrido na sexta-feira (28). O material, constituído de água com suspensão de rejeito de minério de ferro, verteu da barragem de Alemães e atingiu o ribeirão Mango.

De acordo com a Feam, uma equipe do Núcleo de Emergência Ambiental (NEA) realizou uma fiscalização nas instalações da Gerdau, responsável pela barragem, e no local da ocorrência. Uma nova fiscalização foi feita nesta terça-feira (1º), mas, dessa vez, nas comunidades localizadas na extensão do ribeirão Mango e no rio Itabirito, que teriam sido atingidos pelo vazamento. Amostras dos dois rios foram solicitadas.

“Os danos ambientais estão sendo apurados e a empresa será autuada por causar intervenção que resulte ou possa resultar em dano ambiental”, afirmou a Feam, explicando que a barragem, por ser estrutura alteada pelo método de montante, deverá ser descaracterizada.

A Gerdau já apresentou o projeto de descaracterização e aguarda anuência de supressão vegetal para iniciar as obras. De acordo com a Feam, a estrutura possui estabilidade garantida pelo auditor e foi vistoriada no âmbito do Programa de Gestão de Barragens na quarta-feira passada (26).

Por meio de nota, a Gerdau afirmou que o fato ocorreu pela manhã e o fluxo dos rejeitos foi contido por boias. “A empresa está alocando todos os recursos necessários para a identificação de eventuais impactos, inclusive a limpeza dos resíduos, se necessário”, disse a empresa.

Veja nota da Gerdau, na íntegra, abaixo:

A Gerdau informa que, no dia 28 de agosto, ocorreu a passagem de um pequeno volume de rejeito pelo extravasor operacional da Barragem dos Alemães, localizada no município de Ouro Preto, atingindo a drenagem à frente da barragem. O fato ocorreu pela manhã, e teve o fluxo contido por boias, sendo que, à tarde, a água já apresentava turbidez normal. A empresa informou o ocorrido aos órgãos competentes. A ocorrência não tem relação com a estrutura ou segurança da barragem. A Gerdau reforça que segue rigorosamente toda legislação ambiental e de segurança da estrutura. A empresa está alocando todos os recursos necessários para a identificação de eventuais impactos, inclusive a limpeza dos resíduos, se necessário”.