Um acordo entre a administração da Regional da Pampulha, a Prefeitura de Belo Horizonte e os feirantes permitiu que a Feira do Mineirinho seja realizada normalmente na próxima quinta-feira (1°). O evento foi reaberto na semana passada no Espaço Arena BH, mas estava ameaçado em função das comemorações pelo Dia do Trabalhador organizadas pelo Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada no Estado de Minas Gerais (Siticop) na mesma área.
 
De acordo com informações da Regional Pampulha, o acordo prevê a realização dos dois eventos no mesmo espaço. Entretanto, haverá duas entradas separadas e a feira será isolada da área onde acontecerá a festa do Siticop. Ainda conforme o órgão, a área do Espaço Arena possui cerca de 20 mil m², o que não impede que os dois eventos sejam realizados simultaneamente e sem prejuízo à nenhuma das partes. 
 
Segundo a Dekkas, empresa que administra a Feira do Mineirinho, na última sexta-feira a organização foi informada de que teria que desocupar a área em função do evento. No entanto, a retirada de toda a estrutura da feira e uma nova montagem levaria cerca de três semanas, o que prejudicaria as vendas para o Dia das Mães, que será comemorado no dia 11 de maio. Além disso, o acordo com a regional Pampulha permitiu também a abertura da feira na véspera da data, uma das mais rentáveis para os comerciantes.
 
Para a diretora da Dekkas, Érika Miziara Faina Vilela, o acordo trouxe alívio para os 400 feirantes, que ficaram por vários meses sem nenhuma fonte de renda. “A abertura deste novo local trouxe segurança para centenas de famílias de expositores que, até o final de fevereiro não tinham perspectivas da continuidade da feira durante o período da Copa do Mundo. Pela primeira vez nos últimos meses, vejo os feirantes tão animados”, explico. 
 
Fechamento
 
No dia 2 de fevereiro deste ano, a Feira do Mineirinho foi interditada por falta de alvará. Já no dia 6, a prefeitura liberou um alvará provisório, com duração de três meses, para a realização do evento. No dia seguinte, a PBH interditou novamente a feira sob alegação de que a documentação apresentada pela Dekkas estaria incompleta. Já no dia 28 do mesmo mês, a organização conseguiu um alvará definitivo para que feirantes trabalhassem no Mineirinho até o dia 31 de março, quando o evento foi suspenso porque o espaço passou a ser de uso exclusivo da Fifa para a realização da Copa do Mundo.
 
No ano passado, a Feira do Mineirinho também ficou fechada por sete meses por conta das obras para a Copa e só foi reaberta em novembro, após várias reuniões entre o Governo de Minas, prefeitura, feirantes e representantes do Copac.