Pela primeira vez, a República Tcheca vai reunir universidades em uma feira virtual gratuita para apresentar aos brasileiros os benefícios de estudar no país europeu. O evento, a ser realizado nesta quinta-feira (14) das 17h às 21h, terá a participação de 24 instituições de ensino superior. 

Representantes do governo tcheco também participam da iniciativa, esclarecendo dúvidas sobre os programas educacionais oferecidos por lá. De acordo com a organização da feira, a nação atrai mais de 50 mil estudantes internacionais.

República Tcheca

As inscrições podem ser feitas neste link. Após o cadastro, as informações serão enviadas para o e-mail informado.

Como será

O “Estude na República Tcheca” vai permitir que os participantes pesquisem as instituições por nome, tipos de cursos e localização. Da mesma forma que em um evento presencial, as pessoas poderão percorrer os estandes e conversar ao vivo com representantes das universidades por meio de chamadas de áudio e vídeo.

Chefe do Departamento de Educação Superior da Agência Nacional Tcheca para Educação e Pesquisa (DZS), Jakub Tesar, responsável pelo gerenciamento das operações da feira virtual, destaca os benefícios de se matricular em uma faculdade no país. "As razões mais inteligentes, sem dúvida, são a relação custo-benefício, a excelência do ensino, bem como a qualidade de vida e a localização vantajosa do país no centro da Europa. As universidades tchecas estão entre as mais antigas do planeta e são reconhecidas internacionalmente por seus programas em Engenharia, Ciência da Computação, Bioquímica e Negócios”, afirma.

Mais de mil cursos ministrados em inglês são distribuídos em 61 instituições de ensino superior, com instalações modernas e diversas graduações, como Medicina, Engenharia, TI, Ciências Naturais ou Negócios a Direito, Ciências Sociais, Artes e Arquitetura.  

“Os alunos têm muito mais 'liberdade' no que diz respeito ao programa de estudos e às instalações da universidade. Existem muitas disciplinas opcionais ministradas por especialistas internacionais, as instalações da universidade estão sempre abertas e há espaço para os alunos terem um tempo tranquilo estudando fora dos dormitórios”, diz María Suarez, embaixadora do “Estude na República Tcheca” na Venezuela.

Os programas de língua inglesa custam entre 3.000 e 15.000 dólares por ano e o ensino superior em instituições públicas permanece gratuito para todas as nacionalidades se os alunos decidirem estudar na língua tcheca. Os universitários também podem aproveitar os programas de bolsas oferecidos pelas universidades e até mesmo participar de intercâmbio internacional, como o European Erasmus +.

“Nossas universidades estão cada vez mais envolvidas em uma ampla gama de atividades de cooperação internacional que acontecem na União Europeia e em outros países, como o Brasil”, explica Jakub Tesar.

Custo de vida

O custo de vida é muito mais baixo do que em qualquer país da Europa Ocidental. É estimado entre 350 e 750 dólares por mês para cobrir acomodação, alimentação, viagens, cinemas e exposições de arte. Outro benefício para estudantes internacionais é a possibilidade de trabalhar meio período e ganhar algum dinheiro extra.

“O equilíbrio perfeito entre estudar e morar na República Tcheca é outro aspecto que pesa muito na hora de escolher o país como destino. É classificado como o quinto lugar mais acessível para se viver na Europa e o oitavo país mais seguro do mundo, de acordo com o Índice da Global Peace Index 2020”, informa Klara Tonkova, integrante do “Estude na República Tcheca”. 

Praga e Brno estão entre as dez principais cidades do mundo voltadas para estudantes (pesquisa QS) e, de acordo com a Time Out, Praga acaba de ser eleita a cidade mais bonita do mundo”.