Comerciantes inscritos nas feiras organizadas pela Prefeitura de Belo Horizonte poderão participar de um curso gratuito de empreendedorismo digital, a partir do dia 10 de fevereiro. As inscrições serão abertas nesta segunda-feira (1º).

A ação tem como objetivo a capacitação dos cerca de 2 mil feirantes da capital mineira no acesso às diversas plataformas de vendas on-line existentes, para que possam desenvolver habilidades e comercializar os produtos também pelos meios digitais.

O curso foi idealizado pela PBH, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), para minimizar os impactos sofridos pelos comerciantes diante de suspensões de atividades presenciais causadas durante a pandemia da Covid-19.

Os inscritos serão divididos por turmas conforme o acompanhamento das atividades. Para cada grupo haverá um monitor para orientar no desenvolvimento do programa e tirar todas as dúvidas. As inscrições podem ser feitas neste link. Não há data limite para o registro.

O curso

O curso terá início a partir de 10 de fevereiro, com carga horária prevista de 80 horas, dividida em três módulos. Por meio de um programa de ensino a distância, os feirantes conhecerão as ferramentas digitais, aprenderão como comercializar eletronicamente, como preparar seus produtos, identificar melhor seus clientes e realizar vendas por aplicativos e plataformas já existentes, como Whatsapp, Instagram, Facebook e Telegram.

Segundo a secretária-adjunta Municipal de Desenvolvimento Econômico e subsecretária de Assuntos e Investimentos Estratégicos, Cristiane Serpa, o curso tem a preocupação de atingir todas as faixas etárias dos feirantes, que são diversas, promovendo a inclusão e o incentivo às vendas eletrônicas.

“É importante destacar que temos um público com uma faixa etária bastante diversa nas feiras, vai desde jovens adultos a pessoas com mais de 80 anos. O fato de termos essa variedade também definiu que desenvolvêssemos um curso o mais acessível possível e o mais simplificado do ponto de vista de entendimento para que contemple todos os conhecimentos existentes, desde aquele que ainda não possua smartphone até aquele que já vende pelo Instagram, por exemplo”, afirmou.

Apesar dos três módulos e da carga horária, o curso é flexível e não possui uma data-limite de inscrição nem de encerramento das atividades. Assim, o participante poderá desenvolver o curso conforme sua própria velocidade de aprendizado e disponibilidade de horários.

“Essa data de início do primeiro módulo – que é a introdução ao mundo digital – não significa que todos os feirantes tenham que iniciar no mesmo dia. A partir de 10 de fevereiro o curso estará disponível para a realização. O participante pode querer cumprir a carga horário fazendo o curso todos os dias ou conforme o tempo que ele tem disponível para a conclusão. É uma liberdade que o feirante terá para desenvolver o seu programa”, disse a secretária-adjunta.

Leia mais:
Kalil promete fiscalização 'muito mais rígida' na reabertura do comércio de BH, nesta segunda
Alta temperatura: termômetros podem chegar aos 34°C neste domingo em BH
Mulher é presa após esfaquear o namorado durante briga em BH