Para que os trabalhadores da saúde, linha de frente no combate ao coronavírus, tenham com quem deixar seus filhos enquanto trabalham, as creches vinculadas à Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) foram liberadas. 

O serviço estava suspenso, assim como as escolas e demais creches no Estado, mas a Fhemig informou, nesta quarta-feira (1°), que voltou a liberar as cinco creches vinculadas. Elas estão localizadas no Hospital Eduardo de Menezes, no Hospital Galba Velloso, no Instituto Raul Soares, todas em Belo Horizonte, e também no Hospital Regional João Penido, em Juiz de Fora, e no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena.

A recomendação, no entanto, é que as famílias que possuam outra alternativa, não deixem seus filhos voltar às creches, desde que evitem contato com familiares do grupo de risco como idosos ou portadores de doenças crônicas. Mas caso os trabalhadores não tenham com quem deixar seus filhos enquanto trabalham, as creches estão à disposição.   

"A Fhemig oferece creches como benefício para seus servidores. Seu funcionamento foi suspenso há alguns dias, seguindo as demais creches do estado. No entanto, houve um importante impacto para os servidores que prestam assistência nos hospitais da fundação. Diante do cenário em que esses profissionais são essenciais no cuidado dos pacientes e, ao mesmo tempo, há a falta de alternativa para deixar seus filhos, foi decidido o retorno do funcionamento das creches, a fim de garantir a assistência neste momento de pandemia", informou a fundação.

Leia mais:

Hospital Eduardo de Menezes ganhará novos leitos de CTI