A Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), responsável pelo Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, informou, nesta tarde de sexta-feira (10), que não há, até o momento, nenhum paciente internado na unidade com suspeita de Covid-19.

Em nota, a Fhemig explicou que o Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, é a unidade da rede responsável por receber, exclusivamente, os pacientes suspeitos e confirmados com a doença, e aproveitou para detalhar o protocolo de atendimento de casos suspeitos. "Os pacientes graves que porventura venham a dar entrada no HJXXIII com quadro respiratório grave, são imediatamente transferidos".

A Fhemig também negou que haja sobrecarga dos funcionários, associada à pandemia do novo coronavírus na unidade de saúde. "Todos os profissionais da rede que trabalham na linha de frente, no enfrentamento da pandemia são constantemente treinados, inclusive na paramentação e desparamentação". Ainda confome o comunicado, atualmente, há 14 leitos de CTI disponíveis na unidade, que é o maior hospital de urgência e emergência da capital.

"A Fhemig assume o seu compromisso e a sua importância no enfrentamento à covid-19 e não tem medido esforços para que as unidades estejam preparadas para o acolhimento dos possíveis casos suspeitos da doença. Para se readequar ao novo cenário epidemiológico, a Fundação desenvolveu o Plano de Capacidade Plena Hospitalar, que pode ser lido, na íntegra, neste link, cujo conteúdo está sendo colocado em prática pela Fundação", diz o comunicado.

Coronavírus em Minas

Dezessete pessoas morreram em Minas Gerais por coronavírus, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta sexta-feira (10). São dois óbitos a mais do que na quinta-feira (9). Segundo a secretaria, outras 107 mortes estão sob investigação. Há 698 confirmações de Covid-19 e outros 57.012 casos suspeitos aguardam resultados de exames no estado.

Na sexta-feira, foram confirmadas pela SES as mortes de um homem de 79 anos em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, e de uma mulher de 46 anos, em Divinópolis, na Região Centro-Oeste.