Fiéis celebram canonização de padroeira Irmã Dulce, primeira santa brasileira

Jéssica Malta
13/10/2019 às 13:13.
Atualizado em 05/09/2021 às 22:12
 (Reprodução/Facebook)

(Reprodução/Facebook)

Quando Irmã Dulce foi escolhida como padroeira de uma paróquia que leva o nome dela, em 2012, a religiosa ainda não era reconhecida como santa pela Igreja Católica. A falta do "título" não impediu fiéis da recém-construída igreja, localizada no Aglomerado da Serra, região Centro Sul de Belo Horizonte, de se tornarem devotos dela.

“Quando o arcebispo (dom Walmor Oliveira de Azevedo) a escolheu como padroeira, a gente não a conhecia direito. Mas, assim como a paróquia foi crescendo, o nosso conhecimento também. Assim, passamos a nos identificar com ela”, lembra Maria Aparecida, de 40 anos. "Assim como ela ajudou os outros, a gente ajuda também. Nós precisamos, mas há quem precise mais. Aqui um ajuda o outro", destaca Aparecida, que trabalha na paróquia. Jéssica Malta

Maria Aparecida destacou a identificação com o trabalho da santa

Membro da Pastoral do Batismo da Paróquia Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, Aparecida reforça a emoção de ver a padroeira se tornando santa. “Nem sei falar o que estamos sentindo. É um sonho. É muito gratificante para nós vivenciarmos esse dia”.

Quem também comemora a data é a moradora do Aglomerado da Serra Agda Camilo de Lelis, de 76 anos. Fazendo aniversário no mesmo dia da canonização de Irmã Dulce, a devota afirmou que o reconhecimento foi como um presente particular. "Não tenho como agradecer”, resume. 

Participando da celebração especial realizada neste domingo (13) na  Escola Municipal Senador Levindo Coelho, Senhorinha Costa, de 67 anos, contou que mesmo antes do reconhecimento da santidade de Irmã Dulce já fazia pedidos para a santa. “Ela é milagrosa e olha por todos nós. Peço todos os dias para proteger a minha família, para nos livrar de toda essa violência", conta. 

Devota 

Emocionada, a missionária Sudara de Oliveira Alves, de 69 anos, também celebrou a canonização da mineira. "A emoção é tão grande que até me arrepio. Me sinto privilegiada de estar aqui neste dia tão bonito. Às 5h da manhã eu já estava acordada vendo a cerimônia em Roma”, revela a fiel. Irmã Dulce foi canonizada pelo Papa Francisco em cerimônia realizada na Itália.

Devota de Irmã Dulce, Sudara lembra que a admiração pela religiosa fez com que ela visitasse Salvador, terra natal da santa. "Nosso povo está sofrendo tanto. Deus é tão misericordioso, que tendo a Irmã Dulce como santa. As pessoas vão confiar que ela está presente”, diz, acresditando que a canonização da brasileira é sinal de que Deus está olhando pelo Brasil.  Jéssica Malta

A missionária Sudara de Oliveira não conteve as lágrimas ao falar da devoção pela santa brasileira

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por