A filha do chileno Alfredo Leonardo Foster Huaiquiche, de 71 anos, reconheceu como sendo de seu pai os objetos que foram encontrados próximo a dois corpos. Os restos mortais estavam em uma área de preservação onde passa uma nascente, no Parque Estadual do Pico do Itacolomi, em Ouro Preto, região Central de Minas. Além de Alfredo, o irmão dele, Juan Roberto Foster Huaiquiche, também está sumido desde novembro de 2014.

Mesmo tendo os objetos pessoais reconhecidos, a perícia da Polícia Civil recolheu material genético da filha do chileno para comprovar se os cadáveres são dos irmãos estrangeiros. O laudo deve ficar pronto em 30 dias e, somente após esse prazo, e com a confirmação da identificação, os restos mortais serão liberados para os familiares. Os corpos estão recolhidos no Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte.

O caso está sendo investigado pela delegada Larissa Mascotte, que, a princípio, descartou que os homens foram vítimas de assalto ou homicídio. Os corpos, que já estavam em estado avançado de decomposição, foram encontrados e resgatados no início desta semana.

Próximo aos cadáveres foram apreendidos documentos, mochilas com pedras aparentemente preciosas, roupas e o RG de um jovem que seria filha de um dos chilenos.