Mãe e filho se reencontraram, nesta segunda-feira (9), após 42 anos separados. A cena foi promovida pela Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida (DRPD) da Polícia Civil, na sede do departamento, em Belo Horizonte.
 
Após mais de quatro décadas de separação, Paulo Márcio de Souza Vaz, de 43 anos, procurou a Polícia Civil, em 2010, com o desejo de rever a mãe, Anita Maria de Jesus, de 69 anos. A história teve um final feliz e emocionou não somente mãe e filho, mas a todos que tiveram a chance de presenciar o momento.
 
A história da separação começou quando, em 1973, Anita engravidou de gêmeos, mas um deles faleceu com seis meses de vida. Já o outro filho, Paulo Márcio, foi levado pelo pai aos dois anos de idade. Ela conta que viveu apenas por cinco anos com o pai de Paulo, mas o casal não tinha um bom relacionamento. Por isso, a mãe viajou com a criança para São Paulo. Entretanto, o pai de Paulo foi até lá e buscou o filho, com o intuito de se vingar da ex-companheira. Segundo Anita, ele dizia que se não podiam ficar juntos, ela também não ficaria com o filho.
 
Após o falecimento do pai, Paulo começou a procurar pela mãe, pois se sentiu muito sozinho no mundo. Entretanto, ele só tinha o nome de Anita, mas não possuía dados importantes, como seu número de CPF e identidade. Com isso, Paulo chegou a ter contato com outra mulher que ele acreditava ser sua mãe biológica, em Porteirinha, no Norte de Minas, em 2013.
 
A constatação de que a mulher tinha sido mãe apenas de crianças do sexo feminino revelou que não se tratava da pessoa que ele procurava. O episódio é apontado pelo delegado Thiago Saraiva como exemplo da importância de possuir o máximo de informações quando se pretende localizar uma pessoa, para evitar que ocorram enganos, devido à existência de homônimos, o que ocorre com frequência.
 
O encontro
 
Ansiosa para rever o filho, Anita saiu da cidade de Senador Firmino, na Zona da Mata, onde mora, para se encontrar com Paulo, que mora em Belo Horizonte. “É uma felicidade muito grande ver meu filho de novo”, desabafou, após ter a chance de abraçar Paulo novamente. 
 
Também emocionado, o filho disse que estava se sentindo realizado ao ter a mãe por perto, após mais de quatro décadas de separação. “Nunca recebi um abraço tão gostoso assim”, disse Paulo. Além de rever a mãe, ele ganhou também uma irmã, Ana Paula, que tinha dois meses de idade na época. Já Anita ganhou, com o reencontro, dois netos e uma bisneta.
 
(* Com Polícia Civil)