Eventos de Réveillon clandestinos foram coibidos pela prefeitura durante a virada ano em Belo Horizonte. Ações foram feitas em pelo menos sete locais da capital. Segundo informações divulgadas pelo órgão na manhã desta sexta-feira (1º), a participação da população, feita por meio de denúncias, teve papel fundamental, impedindo ocorrências de aglomerações em praças e vias públicas.

A fiscalização foi realizada pela PBH, envolvendo a Guarda Municipal, a subsecretaria de Fiscalização, a Vigilância Sanitária e a BHTrans, além da Polícia Militar (PM).

Ainda de acordo com a PBH, as ações evitaram a realização de dois bailes funk na região Nordeste, nos bairros São Gabriel e Concórdia. Festas clandestinas também foram evitadas na praça do Cardoso, no aglomerado do Cafezal, na região Centro-sul e no bairro Alto Vera Cruz, na região Leste, com a presença antecipada da fiscalização nos locais.

O aglomerado do Morro das Pedras, na região Oeste, e o bairro Vale do Jatobá, no Barreiro, foram alvo de denúncias feitas pela população, permitindo que as equipes integradas agissem de forma antecipada, evitando que as aglomerações se formassem.

A Praça do Papa, na região Centro-sul, também contou com a presença de agentes, que evitaram aglomerações e combateram a poluição sonora provocada pelo uso das caixas de som.

A prefeitura informou, ainda, que as equipes integradas continuarão agindo na fiscalização de espaços públicos, de forma a evitar aglomerações. As denúncias podem ser feitas pela população pelo telefone 156 e pelo aplicativo BH APP.

Leia mais:
Fiscalização para combate às festas clandestinas será reforçada durante o feriado de Ano Novo em BH
'Não existe passaporte para festa', diz infectologista sobre teste antes de comemorações de Ano Novo
Falta de pessoal reduz leitos para Covid e secretário teme 'risco de ter gente morrendo na rua'