O fogo já consumiu 70 mil hectares de área verde em Minas neste ano, segundo dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Somente na quarta-feira (1º), foram registrados 68 focos de incêndio na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
 
Na última terça-feira, as chamas devastaram a Serra do Curral, próximo ao bairro Belvedere, e parte da Mata do Jambreiro, na divida de Belo Horizonte com Nova Lima. Os bombeiros ainda não fizeram um levantamento da área destruída.
 
Na maioria dos incêndios, a suspeita é de ação criminosa. De janeiro até o mês passado, a Polícia Civil de Minas Gerais já tinha instaurado 97 inquéritos para apurar as causas de focos na Grande BH, principalmente nos parques estaduais da Serra do Rola-Moça, em Brumadinho, e no Serra Verde, atrás da Cidade Administrativa.
 
Segundo o delegado da 2ª Delegacia de Meio Ambiente, Aloísio Daniel Fagundes, a principal dificuldade da polícia é identificar os autores dos crimes. “Nem sempre é possível localizar os responsáveis por falta de provas e até testemunhas”, explicou. 
 
Ontem, guarnições do Corpo de Bombeiros debelaram os últimos focos na Serra do Curral. Na terça-feira, caixas de madeira foram jogadas nas chamas. “Em vez de ajudar, um homem estava contribuindo ainda mais para a devastação da mata. Uma cena triste”, disse a secretária Ana Garcia. 
 
No final da tarde de terça, um novo foco foi detectado na Mata do Jambreiro. Até o fechamento desta edição, o fogo não havia sido controlado.