Os trabalhos dos 20 militares do Corpo de Bombeiros de Minas enviados na última semana para a cidade de Novo Progresso, no Pará, para combater os incêndios na Amazônia Legal, seguem a todo vapor. Fotos divulgadas nesta quarta-feira (11) mostram como está a situação dos agentes, que deverão continuar no local até o próximo dia 20 de setembro. 

"Em alguns momentos, devido à baixa altitude da fumaça dos incêndios, não é possível decolar as aeronaves e nem realizar o lançamento das equipes em campo, sendo necessário aguardar as condições de visibilidade melhorarem. Porém, os trabalhos continuam por outras frentes", explica a corporação. 

Durante os trabalhos, constantemente são feitas reuniões com os demais órgãos envolvidos no combate para as ações serem planejadas. "Por meio de análises utilizando ferramentas de geoprocessamento e imagens de drones, são identificadas rotas de acesso por terra às áreas de mata para o combate ao fogo", completa o Corpo de Bombeiros. 

Além disso, também são traçadas estratégias para otimizar o lançamento de equipes em campo com o uso de aeronaves. 

A viagem

O envio das tropas mineiras foi uma determinação do governo do Estado, quando o governador Romeu Zema (Novo) colocou a corporação à disposição para colaborar no combate aos incêndios. 

Na bagagem, além da experiência com as queimadas em matas mineiras, os bombeiros estão levando equipamentos de combate a incêndio florestal, como sopradores, abafadores, bombas costais (uma espécie de mochila que armazena 20 litros de água para combate ao fogo), drones de monitoramento, tecnologia de geoprocessamento e aparelhos GPS.

Segundo a corporação, os militares trabalham com um planejamento que permite a atuação em missões não previstas sem prejudicar o atendimento às demandas do Estado. Um exemplo disso foi a atuação dos militares na operação Moçambique e a própria atuação ininterrupta nas buscas em Brumadinho. 

Leia mais: 
BH registra o dia mais quente deste inverno, mas temperatura deve subir ainda mais na sexta
Ministro diz que Brasil preservou 84% da Amazônia por esforço próprio
Fogo não é comum na Amazônia, afirma biólogo
Bombeiros de Minas partem nesta quinta para a Amazônia para ajudar no combate aos incêndios

 

Confira outras fotos da atuação: