O adolescente que atirou e matou um funcionário da Câmara Municipal de Belo Horizonte durante tentativa de assalto no bairro Buritis, na região Oeste da capital mineira, é irmão do assassino do universitário Matheus Salviano Botelho de Morais, morto durante um assalto no Gutierrez, no lado Centro-Sul da cidade. O grau de parentesco entre os suspeitos, que estão detidos, foi informado por Alexandre Oliveira, delegado responsável pela investigação do assassinato de Christiano D'Assunção Costa, de 34 anos, em coletiva de imprensa concedida nesta quarta-feira (19).
 
O menor apreendido fazia parte de grupo criminoso especializado em roubos e furtos de carros e a polícia acredita que ele abordou Costa porque tinha um Gol igual ao da vítima e precisava de peças, já que havia sofrido um acidente com o veículo em novembro do ano passado, em Esmeraldas, na Grande BH. O adolescente foi detido no dia 28 de fevereiro deste ano, no Barreiro, um mês depois de atirar contra o funcionário da Câmara na porta da academia que ele frequentava, na rua Senador Lima Guimarães.
 
Imagens de circuitos de segurança do estabelecimento e de vizinhos registraram o momento em que o detido andou pelo local da abordagem por duas vezes. Além dessas evidências, um funcionário da academia ainda relatou ao delegado que a vítima foi rendida quando ligava o carro. Costa recebeu ordem para que saísse do veículo, mas, na tentativa de fugir do assalto, acelerou e foi baleado na testa e na nuca.
 
No dia do crime, o adolescente fugiu em um Fiesta prata furtado e com placa clonada. O carro foi estacionado a poucos metros do local do assassinato. Durante as investigações, Alexandre Oliveira também descobriu que o carro utilizado na fuga pelo garoto detido era o mesmo que se envolveu em acidente de trânsito semanas antes. O condutor do veículo atingido pelo Fiesta anotou a placa do carro e o celular do motorista com o objetivo de cobrar o ressarcimento dos danos. Dias depois, o jovem que dirigia o veículo, também menor de idade, vendeu o carro por R$ 1.500 para o adolescente apreendido. "Esse fato foi fundamental para o prosseguimento das investigações", disse o delegado.
 
O adolescente foi detido em decorrência de envolvimento com a morte de outro jovem, Gerson Carlos da Silva Cabral, de 19 anos. O homicídio ocorreu sete dias antes do assassinato de Costa Christiano e foi passional. Por meio do exame de microcomparação balística, ficou comprovado que a munição utilizada para matar Cabral partiu da mesma pistola 380 utilizada no crime do Buritis.
 
O menor irá responder pelo homicídio de Cabral e pelo latrocínio que vitimou o funcionário da CMBH. Ele está apreendido no Centro de Internação Provisória (Ceip) Dom Bosco e já tinha antecedentes criminais por furto, roubo, adulteração de sinal identificador de veículo e disparo de arma de fogo. (*Com informações da PC)