Cinco funcionários da Vale são ouvidos, nesta quinta-feira (18), em mais uma sessão da CPI que investiga a tragédia ocorrida em Brumadinho na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Um sexto convocado, Marco Conegundes, responsável por acionar o Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM), não compareceu pois conseguiu um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Três dos cinco que compareceram já falaram durante a manhã e os outros dois serão ouvidos no período da tarde.

Marco Aurélio Amorim, Renato Pinto de Figueiredo, Vagner Zacarias, Rodrigo da Silva Moreira e Sidmar Moreira, segundo a ALMG, foram citados pelo também funcionário da Vale Fernando Henrique Barbosa Coelho, em depoimento no dia 8 deste mês, quando relatou um vazamento na barragem sete meses antes do rompimento. De acordo com Fernando Henrique, os colegas trabalharam para conter o vazamento e podem dar mais detalhes sobre os problemas detectados na estrutura.

Leia mais:
Indenização a famílias de vítimas de rompimento em Brumadinho será debatida nesta quinta-feira
Juíza estipula fiança de suspeitos de fraudar indenização da Vale no valor recebido ilegalmente