A implantação de um novo software no laborátorio da Fundação Ezequiel Dias (Funed) permitirá padronizar e agilizar o resultado de análises de laudos, como de casos de dengue e outras doenças. O sistema será implantado de forma pioneira no país e também servirá para exames de controle sanitário, como alimentos, medicamentos, cosméticos, saneantes e produtos para a saúde, entre outros.
 
Segundo o Governo do Estado, objetivo do software SGA-WEB/HARPYA é unificar informações dos resultados de testes em um banco de dados comum a todos os 60 laboratórios que compõem a Rede Nacional de Laboratórios em Vigilância Sanitária.
 
Dessa maneira, todos saberão em tempo real qual análise está sendo feita em cada laboratório. Essas informações também servirão como material de consulta para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conheça a produção de cada um deles.
 
O sistema serve ainda como um arquivo padronizado, já que atualmente cada laboratório repassa as informações através de formulários enviados por e-mail. “O software permitirá agilidade da resposta, porque facilita uma ação mais rápida e direta dos órgãos de vigilância sanitária”, relata o responsável pela Divisão de Vigilância Sanitária e Ambiental da Funed, Kleber Baptista.
 
Os órgãos que terão acesso ao sistema, além dos laboratórios oficiais, serão a Anvisa, Vigilância Sanitária estaduais e municipais e alguns programas do Ministério da Saúde, como o Programa Nacional de Controle da Tuberculose, de doenças endêmicas e malária, entre outros. 
 
A implementação na Funed já começou e funciona paralelamente ao antigo sistema. Em até seis meses, o programa estará preparado para ser multiplicado nos 27 Laboratórios Centrais de Saúde Pública dos Estados (Lacens), oito laboratórios municipais, 12 regionais e 12 centros colaboradores, estando a maioria destes últimos nas universidades.
 
(* Com Agência Minas)