A Fundação Ezequiel Dias (Funed) está com uma campanha em suas redes sociais para convidar a população de Belo Horizonte a dar um nome ao mascote da instituição: uma jiboia, encontrada há três anos em uma árvore na praça Raul Soares, no Centro da cidade. A votação será encerrada na próxima segunda-feira (23). 

De acordo com a Funed, a jiboia, em geral, é uma cobra muito agressiva. No entanto, o bicho localizado em BH é manso, razão pelo qual os funcionários da instituição acreditam que ela foi criada desde filhote em cativeiro.

Para participar da votação, é só acessar as redes sociais da Funed, como o Facebook, e sugerir um nome. Os três mais originais e que levem em consideração a sua história e personalidade, serão escolhidos por uma comissão interna para uma segunda votação. O mais votado entre os três será o novo nome da nossa jiboia. Para votar presencialmente, será disponibilizada uma urna no local.

O anúncio do novo nome da mascote da Fundação será feito durante as comemorações dos 112 anos da Funed, que ocorrerão no dia 2 de agosto.

O caso

De acordo com a Funed, a cobra foi encontrada em uma árvore na praça Raul Soares e, em seguida, levada pelo Corpo de Bombeiros até a instituição, onde vive até o momento. Segundo a fundação, a jiboia é uma das cobras que mais chamam a atenção de quem visita o Serpentário da Fundação. 

A cobra

Considerada a segunda maior serpente do Brasil, a jiboia pode chegar a até três metros.  É uma cobra tipicamente brasileira e não tem veneno. No entanto, isso não significa que ela não seja perigosa. 

“Ela gosta de se alimentar com pequenos mamíferos e aves e, apesar de não ser venenosa, ela é extremamente forte, se enrola na presa e a mata por asfixia”, explica Leonardo Noronha, servidor do Serviço de Animais Peçonhentos, também conhecido como Serpentário da Funed.