Itens básicos de consumo da população sofreram aumento em Belo Horizonte. O gás de cozinha está 0,85% mais alto em junho de 2015 em Belo Horizonte, na comparação com o mês anterior. Já o quilo do pão subiu 1,98% no mesmo período. Os índices fazem parte de duas pesquisas do Procon Assembleia, realizadas junto a 93 revendas, cinco distribuidoras de gás e 40 padarias da Capital mineira. Os preços foram coletados entre os dias 15 e 19 de junho deste ano.
 
Consulte a pesquisa completa do gás de cozinha e das padarias.
 
Os pesquisadores do Procon Assembleia constataram que o botijão de 13 quilos ficou em média 0,28% mais caro, enquanto que o preço do cilindro de 45 quilos subiu 0,98%. O preço médio do botijão na cidade é de R$ 49,66, enquanto que o cilindro custa, em média R$ 220,91.
 
A pesquisa do Procon Assembleia mostrou ainda que há variações significativas para os produtos entre um estabelecimento e outro. Para o botijão, o menor preço encontrado foi de R$ 36,44. Já o mais caro custa R$ 58,00, uma diferença de 59,17%. Para o cilindro a variação é de 49,14%, com os preços ficando na faixa entre R$ 175,00 e R$ 261,00. Os locais onde esses preços foram coletados podem ser encontrados na pesquisa.
 
Na análise por região, o Procon Assembleia constatou que houve redução no preço médio do botijão de 13 quilos na Pampulha, com -1,69%, e na região Oeste (-1,53%). Nas distribuidoras também houve queda de 2,54%. Nas outras seis regiões da cidade o preço do produto subiu, com destaque para a região Centro-Sul, onde a alta média foi de 2,60%.
 
No caso do cilindro de 45 quilos, os preços médios aumentaram principalmente no Barreiro (3,04%) e na região Nordeste (2,56%). Houve redução na Pampulha, na região Oeste e nas distribuidoras.
 
Pão de sal fica 1,98% mais caro
 
O quilo do pão de sal nas padarias de Belo Horizonte subiu, em média, 1,98%. De acordo com a pesquisa do Procon Assembleia, houve ainda aumentos nos preços do pão doce (3,72%) e do pão sovado (0,08%). Das oito regiões da cidade pesquisadas, apenas na Centro-Sul e no Barreiro houve queda no preço médio do pão de sal. Na Pampulha, a alta média chegou a 7,09%
 
O consumidor deve ficar atento às variações de preço entre estabelecimentos da mesma região. Para o pão de sal, foram encontradas diferenças de até 35,45%. No caso dos pães sovado e doce, essa disparidade supera os 100% em alguns casos, como na região Oeste, com 108,53% e 146,79%, respectivamente.