Técnicos da regional Centro-Sul e da Defesa Civil realizam na manhã desta terça-feira (20), a retirada de galhos dos fícus da avenida Bernardo Monteiro, no bairro Santa Efigênia, região Leste de Belo Horizonte. Eles apresentavam risco de queda. No domingo, um galho de 8 metros chegou a despencar e por pouco não atingiu duas mulheres que passavam pelo local.

Em reportagem publicada nesta terça-feira, o Hoje em Dia cobra o poder público quanto ao destino dos fícus devastados pela praga mosca-branca. A prefeitura alega impossibilidade de remover o que resta das árvores centenárias nas avenidas Bernardo Monteiro, no Santa Efigênia e na Barbacena, no Barro Preto, por depender da liberação do Ministério Público Estadual (MPE).

Há cerca de dois anos as árvores estão condenadas pela praga. Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, 37 de 132 árvores estão mortas, formando uma paisagem de desolação nos locais.

O Ministério Público informou que foram feitas inúmeras reuniões com a sociedade civil e a prefeitura para definir a questão paisagística, mas que não houve formalização de um acordo. Em nota, o órgão esclarece que aguarda a implantação das diretrizes estabelecidas nas reuniões para a revitalização dos espaços, o que só deve ocorrer no próximo ano.

O destino das avenidas está condicionado à escolha de um projeto em concurso público, que só terá edital publicado no fim de 2015.

*Com informações de Letícia Alves



(Vídeo: Lucas Prates/Hoje em Dia)