Os visitantes do Jardim Zoológico de Belo Horizonte foram surpreendidos, no sábado (19), por uma nova moradora, uma fêmea de gato palheiro (Leopardus colocolo), que chamou a atenção de adultos e crianças. Outros sete mamíferos ameaçados de extinção estão na Fundação Zoobotânica mas ainda não podem ser expostos a visitação.

A “gatinha” de patas pretas, pelagem que faz jus a seu nome e o jeito arisco prendeu a atenção dos curiosos. “Ela é realmente fascinante, pois alguém como eu que não conhece pensa ser uma gata comum, mas ela é selvagem e tem uma pelagem diferente”, comentou o consultor comercial, Rodrigo Freitas, de 35 anos, que levou o filho Lucas, de 7 anos. “Gosto quando tem animais novos aqui no Zoológico e esse é muito bonito”, afirmou o garoto.

De Montes Claros

A nova moradora veio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de Montes Claros. A gata palheiro, assim como os animais que chegam na fundação, passou pela quarentena, quando o animal é submetido a exames clínicos para verificar suas condições de saúde e também a adaptação à dieta oferecida pelo zoológico.

“Ela se alimenta basicamente de presas. Aqui, ela come uma vez por dia cerca de oito camundongos”, explica o biólogo Humberto Mello.

Mais moradores

Os outros sete novos moradores chegaram na capital há cerca de dois meses. São três fêmeas de mico leão de cara dourada (Leontopithecus chrysomelas), um macho de elande (Taurotragus oryx), uma fêmea e um macho de mico leão dourado (Leontopithecus rosalia) e uma fêmea de cervo do pantanal (Blastocerus dichotomus). Eles vieram de diversas instituições brasileiras.