Gestantes sem comorbidades ainda aguardam um parecer do Ministério da Saúde para serem imunizadas contra a Covid-19 em Belo Horizonte. Na capital, foram vacinadas apenas as com doenças crônicas ou que trabalham em serviços essenciais, desde que tenham apresentado uma avaliação individual feita por um médico.

Segundo a Prefeitura de BH, hoje na capital mineira há cerca de 22 mil gestantes. O número de mulheres que ainda precisam ser imunizadas, porém, não foi divulgado pelo município, que informou que segue “rigorosamente” as orientações do governo federal.

A vacinação para este grupo chegou a ser anunciada pela administração municipal e iniciaria em 12 de maio. Um dia antes, porém, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou a suspensão imediata da imunização em grávidas com doses da AstraZeneca. A interrupção, conforme a agência reguladora, é resultado do monitoramento de eventos adversos.

Atualmente, o Ministério da Saúde orienta que gestantes e puérperas podem se vacinar contra a doença desde que pertençam a um dos grupos prioritários ou tenham comorbidades. Por isso, a PBH informou que é necessário aguardar novas instruções da pasta e que, para a ampliação do público, “é imprescindível que novas remessas sejam entregues”.

Leia mais:
Butantan entrega 800 mil doses de vacinas contra a Covid-19 ao governo federal
Minas registra 10.758 infectados e 270 mortes por Covid-19 em 24 horas
BH imuniza pessoas de 56 anos sem comorbidades contra a Covid nesta sexta-feira