Até outubro, toda a população maior de idade em Minas deverá ter recebido ao menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Pelo menos, essa é a expectativa do governo estadual baseada na entrega das doses prometidas pelo Ministério da Saúde. Ontem, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) divulgou o cronograma da imunização por faixa etária. 

Calendário de vacinação em MG
• 59 a 55 anos: junho
• 54 a 50: julho
• 49 a 35: agosto
• 34 a 25: setembro
• 24 a 18: outubro

Mesmo com as datas já estipuladas, o governo estadual trabalha com a possibilidade de atraso – ou até adiantamento – do planejamento, já que depende do recebimento de novas remessas para cumprir o calendário. Atualmente, pessoas de 56 a 59 anos já estão sendo vacinadas em Belo Horizonte, por exemplo.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, a previsão da pasta federal é receber, em quatro meses, 268,5 milhões de unidades. “Diante da expectativa e do histórico de que 10% das doses vêm para Minas Gerais, essa é a expectativa por faixa etária da vacinação com a primeira dose em todo o Estado”.

Porém, o gestor ressaltou que a velocidade de aplicação não é a mesma para as 853 cidades. Além disso, os grupos etários não têm a mesma proporção. Desta forma, algumas localidades podem se antecipar em relação a outras.

O Ministério da Saúde foi procurado para informar se a previsão de novas remessas da Pfizer, CoronaVac, Astrazeneca e, agora, Janssen será mantida. A pasta não respondeu até o fechamento desta edição. 

Conforme dados do Vacinômetro, painel da SES que monitora a aplicação em Minas, até o momento, 5,5 milhões de pessoas receberam a primeira dose, o que representa 74% do público-alvo. Deste grupo, 2,5 milhões tomaram o reforço (34%).

Lactantes

Gestantes e puérperas sem comorbidades foram incluídas no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19 na última semana. No entanto, as lactantes não. Segundo o secretário Fábio Baccheretti, a decisão deve sair ainda nesta semana.

Leia também:
Ministério da Ciência e Tecnologia tem R$ 415 milhões para projetos de vacina contra a Covid-19
Brasil ultrapassa a marca de 490 mil mortes por Covid-19
Ocupação de leitos de UTI sobe mais uma vez na semana e chega a 74,5% em BH