Os metroviários de Belo Horizonte decidiram em assembleia nesta quarta-feira (19) adiar a greve sanitária programada para esta quinta na capital mineira. A categoria reivindica a vacinação dos trabalhadores. 

De acordo com o Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais (Sindimetro-MG), a paralisação foi suspensa após uma reunião entre representantes dos funcionários e o prefeito Alexandre Kalil (PSD), para discutir a inclusão dos empregados do modal no público prioritário da imunização contra a Covid-19.

"Ele se comprometeu a tentar, diante do Ministério da Saúde, conseguir mais doses com o novo lote da Pfizer que vai chegar ao município", disse o secretário-geral do Sindimetro-MG, Daniel Glória Carvalho.  

O sindicato vai fazer um levantamento de quantos empregados estão disponíveis e ainda não foram imunizados e providenciar, em 30 dias, um cadastro junto à Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). “Apesar do adiamento, a categoria segue em estado de greve. Faremos uma nova assembleia para decidir se paralisa ou se aguarda o tempo que o Kalil pediu”, disse.

Uma nova assembleia da categoria vai ser realizada na próxima sexta-feira (21).

Até o momento, segundo o sindicalista mais de cem empregados foram infectados pela doença, o que corresponde a 10% dos trabalhadores. Desses, quatro não resistiram às complicações da Covid e morreram.

Leia Mais:
Justiça fará pesquisa sobre qualidade de vida na área de segurança
Operação policial fará abordagens em 30 pontos de rodovias mineiras na divisa com São Paulo e Rio
Prefeitura amplia postos de vacinação de idosos contra a Gripe em unidades da Droga Clara