Com a intenção de ajudar pessoas que enfrentam a diabetes, doença crônica que causa alteração no metabolismo, um grupo de apoio foi criado há oito meses no Centro de Saúde Alto Vera Cruz, região Leste da Capital. 

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, a equipe do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf) é multidisciplinar e conta com psicólogos, nutricionistas, educadores físicos, farmacêuticos e fisioterapeutas, que aliados aos médicos fazem um amplo acompanhamento aos diabéticos com idade entre 18 e 90 anos.

"O tratamento envolve principalmente mudança dos hábitos de vida, que inclui dieta saudável com redução de carboidratos, gorduras saturadas e trans, prática de exercícios físicos, interrupção do tabagismo, controle do alcoolismo e de outras comorbidades, como hipertensão e dislipidemia", explica a médica Noely Rosário Zocrato.

Ainda segundo Zocrato, o diagnóstico causa grande impacto na vida das pessoas e traz uma série de estigmas, mitos, angústias e dúvidas. "O trabalho multidisciplinar é fundamental no sentido de estabelecer estratégias de enfrentamento do estresse, promover as mudanças na alimentação e a prática de atividades físicas mais fáceis e agradáveis", conclui.

Serviço 

Os encontros são quinzenais e acontecem das 14h às 16h. O Centro de Saúde Alto Vera Cruz fica na Rua General Osório, 8585, no bairro Vera Cruz

A doença

O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue.

Pré-diabetes: é um termo usado para indicar que o paciente tem potencial para desenvolver a doença, como se fosse um estado intermediário entre o saudável e o diabetes tipo 2. A pessoa nasce com uma predisposição genética ao problema e a impossibilidade de produzir insulina, podendo desenvolver o diabetes em qualquer idade.

Diabetes tipo 1: o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico, fazendo com que nossos anticorpos ataquem as células que produzem a esse hormônio. 

Diabetes tipo 2: existe uma combinação de dois fatores: a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação, conhecido como resistência à insulina. Geralmente, o diabetes tipo 2 pode ser tratado com medicamentos orais ou injetáveis, contudo, com o passar do tempo, pode ocorrer o agravamento da doença. 

Diabetes Gestacional: é o aumento da resistência à ação da insulina na gestação, levando ao aumento nos níveis de glicose no sangue diagnosticado pela primeira vez na gestação, podendo ou não persistir após o parto. A causa exata ainda não é conhecida, mas envolve mecanismos relacionados à resistência à insulina.