Com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em roubo de cargas em rodovias e receptação, a Força Integrada de Combate do Crime Organizado de Minas (FICCO), coordenada pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), realiza uma operação, chamada de Catira, em Minas Gerais, Distrito Federal e mais sete estados do país.

Dois inquéritos que tramitam na Justiça Estadual em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, sustentam a operação.  

Cerca de trezentos policiais civis, militares, federais e rodoviários federais estão envolvidos no cumprimendo de 51 mandados de prisão e mais 50 de busca e apreensão de forma simultânea em Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pará, Espírito Santo, Goiás, Bahia, Tocantis e DF.

Os presos serão encaminhados para Uberlândia, onde ficarão à disposição da Justiça e serão ouvidos antes de serem transferidos para o Presídio Professor Jacy de Assis, no município.

Eles responderão pelos crimes de organização criminosa, roubo, cárcere privado, lavagem de dinheiro e receptação, cujas penas somadas superam 30 anos de prisão.

A articulação tem parceria ainda da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, deflagrou na manhã desta quinta-feira (26.11) a Operação Catira. O objetivo da ação é desarticular organização criminosa especializada em roubo de cargas em rodovias e receptação, com atuação em oito estados do País e no Distrito Federal.
 
Investigação

A organização criminosa vinha sendo investigada há aproximadamente seis meses e durante este período foram identificadas dezenas de ocorrências de roubos de cargas atribuídas ao grupo, que atua de forma violenta nas rodovias brasileiras, com a utilização de armamentos variados e de grosso calibre.