Uma dívida de droga no valor de R$ 500 reais está sendo apontada como a motivação para o assassinato de uma mulher 38 anos e suas duas filhas de 16 e 19 anos. Esta é a conclusão da investigação realizada pelos policiais civis do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa.

As vítimas foram mortas em março de 2011, em uma linha férrea, no bairro Solar do Barreiro, em Belo Horizonte. Nesta sexta (31) dois dos três suspeitos de cometerem o crime foram apresentados pela Polícia Civil à imprensa.

De acordo com os investigadores, o homem de 42 anos que segue foragido é apontado como líder do grupo. Segundo o delegado Antônio Harley, responsável pelo caso, a jovem de 19 anos mantinha relações com os traficantes de drogas da Vila Ecológica, região do Barreiro, e, por essa razão, tinha o hábito de guardar entorpecentes em casa. Certa vez, a mãe da garota, que era usuária de drogas, consumiu todo o produto.

Mãe e filha foram procuradas pelos suspeitos para pagarem a dívidas, mas como não conseguiram pagar o montante exigido foram coagidas a acompanhar o grupo até uma linha férrea do bairro. Ao perceberem que seriam assassinadas, mãe e filhas tentaram fugir. Elas foram mortas com tiros e facadas.

Ainda segundo levantamento da polícia, a adolescente de 16 anos morreu por estar na companhia da mãe e da irmã. Os suspeitos foram encaminhados para o Presídio de Caeté e o Complexo Público Privado I. O terceiro homem continua sendo procurado.