Grupo que usava crianças para facilitar entrada nos EUA é preso pela PF em Minas

Da Redação
29/08/2019 às 21:49.
Atualizado em 05/09/2021 às 20:14
 (Imagem de Free-Photos por Pixabay)

(Imagem de Free-Photos por Pixabay)

Um grupo de pessoas que utilizava crianças para facilitar o envio de migrantes ilegais para os Estados Unidos foi desmontado nesta quinta-feira (28) pela Polícia Federal (PF) em cidades mineiras, durante a operação "Cai Cai II". 

Ao todo foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão, sendo um em Governador Valadares, três em Cuparaque e dois em Coronel Fabriciano, todas na região do Rio Doce. Os mandados foram expedidos pela Govenador Valadares. 

"Foram apreendidos aparelhos celulares, mídias e documentos, que serão analisados para instrução da investigação. Os investigados têm como prática o envio ilegal de pessoas das regiões mineiras do Vale do Aço, Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri e Vale do Jequitinhonha para os EUA. Eles atuavam conforme esquema já conhecido como 'Cai Cai', no qual há a utilização de crianças e adolescentes para facilitar a entrada e permanência de maiores de idade no território norte americano', explica a nota divulgada pela PF. 

Ainda segudno a corporação, todos os custos da viagem eram patrocinados por pessoas conhecidas como “coyote” ou “Consul”, que, após a entrada da pessoa no país estrangeiro, recebiam altos valores como contrapartida pelos serviços prestados. Em muitos dos casos, os suspeitos confeccionavam falsos registros de paternidade dos menores, para facilitar que terceiros os utilizassem no esquema.

"Os envolvidos responderão pelos crimes definidos nos artigos 232 - A, 245, § 1º e 2º, 299 e 304 do Código Penal, bem como artigos 238 e 239 da Lei n° 8069/90 (Estatuto da Criança e Adolescente); podendo cumprir até 29 anos de prisão, caso sejam condenados", completou a PF. 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por