Noventa guardas municipais de Belo Horizonte já poderão circular armados pelas ruas da cidade dentro de duas semanas. A previsão é a de que no início de março os agentes comecem a desempenhar as funções usando o novo equipamento de segurança.

Os servidores com porte de arma irão atuar em locais previamente estabelecidos pela corporação com base em estudos e estatísticas de crimes. A expectativa é a de os guardas designados para o trânsito e patrulhamento nas áreas consideradas de vulnerabilidade e de risco recebam o armamento, mas os locais ainda não foram divulgados.

A Prefeitura de Belo Horizonte garantiu que não haverá agentes armados em escolas e centros de saúde.

Reavaliação

Os treinamentos para o uso de armas foram iniciados no início do mês de janeiro. Dos 99 agentes participantes dessa turma – a primeira de 24 –, nove foram reprovados nos testes psicológicos.

Segundo a corporação, os considerados inaptos serão reavaliados em um prazo de 30 dias. A expectativa é a de que os 2.117 agentes que compõem o efetivo sejam capacitados para o uso de arma de fogo até o fim deste ano.

Treinamento

A assessoria de imprensa da Guarda disse que, para a formação de um agente municipal, em qualquer cidade do país, é preciso ter no currículo um total de 600 tiros durante o treinamento. Na capital mineira, os servidores são formados com um total de 900 tiros.

Uso progressivo da força, primeiros socorros e manejo da arma são algumas das disciplinas ministradas no curso. Os agentes também têm avaliações psicológica e psicotécnica.

Além das atividades com o uso de armas de fogo, eles passam por reciclagem no empenho das armas não letais e até lutas. Hoje, os agentes municipais usam o taser durante o trabalho, cassetetes e coletes à prova de balas.

Opinião

Apesar do empenho nos treinamentos dos guardas municipais, especialistas em segurança pública se dividem sobre a necessidade do porte de armas pelos servidores, conforme o Hoje em Dia mostrou na edição de 1º de fevereiro. Para alguns dos entrevistados, o temor é de que os guardas não estariam devidamente preparados para usar o armamento.

Para outros, porém, o equipamento irá melhorar a área de segurança na cidade, auxiliando o serviço da polícia.