Guardas municipais de Belo Horizonte começam a atuar armados em fevereiro deste ano. Cerca de cem homens estão fazendo o primeiro treinamento, que passa por avaliação psicológica e aulas práticas.

O comandante da Guarda, Rodrigo Prates, explica que o empenho dos guardas será conforme a necessidade. "O empenho será de acordo com o mapeamento da criminalidade. Não teremos guardas armados em escolas", garantiu.

Ao todo, os guardas terão que passar por um treinamento total de 600 tiros. A guarda municipal estima que em dois anos todo o grupamento tenha passado pelo treinamento e esteja apto a usar a arma de fogo. "Aqueles que não passaram no primeiro psicotécnico terá a oportunidade de ser reavaliado", explicou o comandante.

No treinamento, um dos exercícios aplicados é o uso e força progressiva. "Os guardas estão sendo preparados para usarem o armamento de choque, luta,verbalização e por último a arma de fogo", disse Rodrigo Prates.